13 de junho de 2013

LIXO NO LUGAR ERRADO


Um absurdo!!!

Animais marinhos sofrem e morrem por causa do lixo jogado nas praias! 









Quando os seres humanos vão parar de tratar o mar como lata de lixo???




LIXO NO LUGAR CERTO






Empresas especializadas dão destino correto a equipamentos e acessórios sem uso




A televisão quebrada, a máquina de lavar velha , o celular antigo e sem uso. Objetos como esses, em geral, vão parar em algum canto da casa, até que um dia você decide se desfazer da tralha. Jogar no lixo comum, nem pensar. Esse material, quando não descartado de maneira correta, contamina o solo e os rios – principalmente os que possuem componentes eletrônicos – ou vai fazer volume em algum aterro. Existe um jeito certo de se desfazer disso.

A empresa Ecoassist*, por exemplo, recolhe de móveis a eletrodomésticos – e atua em todas as capitais e regiões metropolitanas –, mas isso tem um custo. Em São Paulo, odescarte de um micro-ondas sai por R$ 49, e o de um sofá, R$ 129. No entanto, o serviço é gratuito para quem tem apólices da Itaú Seguros, Allianz ou ACE.

Quem também oferece esse tipo de serviço, em todo o país, é a Descarte Certo*. Os preços vão de R$ 39,90 a R$ 129,90, de acordo com o tamanho do item, mas os valores podem variar no caso de produtos adquiridos com parceiros, como o Carrefour, ou para quem é segurado pela Porto Seguro. Para garantir que os objetos tiveram um destino correto, ambas as empresas emitem um certificado.

QUEM SE RESPONSABILIZA PELO LIXO?
Alguns fabricantes recolhem esse material sem custo

BOTICÁRIO

As lojas da rede têm um recipiente para descarte de embalagens vazias – as quais são encaminhadas para cooperativas de catadores ou para empresas gerenciadoras de resíduos. O material então é transformado em outro produto.

NOKIA
Aparelhos (sem o chip) e carregadores antigos podem ser devolvidos às lojas da marca ou a redes de revenda. Reciclados, eles se transformam em produtos como bancos de praça ou mesmo em alguns modelos de smartphones.

NESPRESSO

As cápsulas dos cafés são feitas de alumínio, material reciclável. Quem tem uma máquina em casa pode guardar as cápsulas usadas e, depois, devolvê-las em uma das butiques da marca. De lá, serão encaminhadas para a reciclagem.

HEWLETT PACKARD 
A marca tem disponível nas lojas HP, Kalunga e Saraiva recipientes de descarte dos cartuchos usados. Depois de recolhidas, as peças são recicladas e transformadas em matéria-prima para novos cartuchos ou mesmo para impressoras.

*Ecoassist Serviços Sustentáveis
*Descarte Certo


8 de abril de 2013

O lixo está matando as aves marinhas

Você sabe o que acontece com o lixo deixado na praia ou na rua que acaba indo para o mar? 
Assita o video.



No documentário “Jornada Midway”, o jornalista Chris Jordan está realizando filmagens no Atol Midway, no Oceano Pacífico, local onde encontra centenas albatrozes que morrem por comer lixo. As aves confundem tampas de garrafas e outros objetos jogados no mar com comida e o resultado você pode ver neste vídeo.





4 de março de 2013

Conheça os 8 objetivos do Milênio




Em 2000, a ONU – Organização das Nações Unidas, ao analisar os maiores problemas mundiais, estabeleceu 8 Objetivos do Milênio – ODM, que no Brasil são chamados de 8 Jeitos de Mudar o Mundo – que devem ser atingidos por todos os países até 2015.


Fonte: Hora do Planeta



24 de fevereiro de 2013

Desperdício de Alimentos


Hotelaria brasileira marca presença no lançamento da campanha da ONU contra o desperdício de alimentos, em Genebra


Mais de um bilhão de toneladas de alimento são desperdiçadas no mundo a cada ano. Para reverter esta situação, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) lançaram, na última terça-feira (22), a campanha global contra o desperdício de alimentos “Pensar. Comer. Preservar. Diga não ao Desperdício”.


A hotelaria brasileira esteve representada no lançamento da campanha, em Genebra, pela associação Roteiros de Charme, que reúne 59 hotéis sustentáveis no Brasil. Presidente da associação, Helenio Waddington, ressaltou, em seu discurso, a importância de o setor turístico brasileiro abraçar a causa, especialmente neste momento em que o país vai sediar grandes eventos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. “A meta da associação Roteiros de Charme é conseguir reaproveitar 95% da sobra dos alimentos dos hotéis até 2015”, disse Waddington, convocando toda a hotelaria brasileira a participar da campanha da ONU.







De acordo com Helenio, 86% dos hotéis da associação já adotam medidas para reduzir o desperdício, transformando as sobras das refeições em produtos renováveis, como compostagem. “Considerando que 1/3 da população mundial não tem um dólar por dia para gastar em comida e que o setor de hospitalidade, em particular a hotelaria, é responsável por 1/3 do consumo de comida, vamos mergulhar de cabeça nesta campanha”, diz Waddington. Ele lembrou ainda que a Roteiros de Charme lançou na Rio+20 o programa “Gastronomia Sustentável”, que estimula os hotéis a identificar os produtores de cada região onde estão localizados e incentivá-los a serem mais comprometidos com a qualidade e com o meio ambiente.





5 de dezembro de 2012

12 Dicas para evitar o desperdício de água


A ONU decretou que 2013 será o Ano Internacional da Cooperação pela Água. Hoje 40% da população global vive em situação de stress hídrico, ou seja, vive com menos do mínimo recomendado pela ONU. Por isso reveja seu consumo de água e saiba como evitar o desperdício.
O Brasil possuí uma grande bacia hidrográfica  só que apenas 8% da população mora nessa região de maior concentração de água doce, que é a região Norte do país. O restante da população se concentra distante dessa região, como consequência disso a água se torna escassa e cara. Não dá para transportar toda água da região Norte para a região sudeste, por exemplo, onde há maior concentração da população.
 Embora nosso planeta seja feito na maior parte de água essa água, dos oceanos e mares, não é própria para o consumo humano por isso não desperdice esse bem precioso.


Lia Roncalli    







1. Reutilize a água sempre que possível. Depois que usada para lavar roupa, ainda pode ser usada para lavar calçadas, por exemplo.
2. Opte por lavar as calçadas com balde, e não mangueira.
3. Quando for construir ou reformar a casa, opte por sistemas que ajudem a evitar o desperdício, como a reutilização da água do banho para a descarga ou espaços para armazenamento da água da chuva. A água captada pode ser usada para a limpeza de carros e calçadas e para a irrigação de jardins. Opte também por vasos sanitários que tenham duas opções de descarga.
4. Lembre que você não usa apenas a água que consumida diretamente para beber, cozinhar ou limpar – todos os produtos que você usa foram produzidos com consumo de água. Tente pesquisar os números e opte por aqueles têm um impacto menos e consuma apenas quando necessário. Esse consumo de água se chama Pegada Hídrica.
5. Economize água no dia-a-dia. Mantenha a torneira e o chuveiro fechados enquanto escova os dentes e se ensaboa no banho. O mesmo vale para lavar a louça.
6. Verifique os vazamentos da sua casa, tanto em canos como em torneiras. Fazer consertos e manutenção regulares evita o desperdício de água.
7. Cuidado com o tempo que fica no banho.
8. Faça uma limpeza prévia das louças, retirando o máximo de resíduos sólidos antes do momento de lavar.
9. Utilize a máquina de lavar louças ou a de roupa apenas quando estiverem com a capacidade máxima. Quando não for possível, regule o nível de água que será usado.
10. Faça o controle da utilização de água pela conta mensal. Aumentos significativos e repentinos podem representar um vazamento. Além disso, é possível ver se medidas de racionamento estão surtindo efeito.
11. Se você mora em condomínios, note que a conta da água é muitas vezes dividida igualmente entre os moradores. Nesses casos, é mais difícil de controlar o uso individual do recurso. Por isso, uma opção é tentar fazer uma campanha de conscientização coletiva entre os moradores.
12. Não jogue lixo nas ruas. Ele pode acabar contaminando os rios da região.